Com 2 anos de existência, Coletivo Cuiabá já ajuda 65 crianças com aulas semanais, atividades e biblioteca
Publicado em 01/09/2017 - 21:35

Há quatro anos, um grupo de amigos decidiu fazer ações solidárias pela cidade e levar alegria às crianças com festas de natal, páscoa e outras datas específicas. Com o tempo, o número de voluntários aumentou e foi necessário abrir uma sede. Hoje, o ‘Coletivo Cuiabá’ já tem dois anos de existência, oferece aulas e já recebeu, inclusive, uma visita do atleta Davi Moura.

A casa fica no Jardim Gramado, em Cuiabá, e atende cerca de 65 crianças. “A maioria vem dos bairros vizinhos, principalmente do Parque Geórgia”, conta uma das primeiras voluntárias, Maria Eduarda Scedrzyk, 26. Ela explica que a casa fica aberta às terças, quartas e sábados.  Às terças-feiras as crianças têm aulas de reforço de inglês e aulas de xadrez. Já às quartas, o reforço é de matemática, e eles contam ainda com aulas de balé yoga. Por fim, aos sábados, todos aprendem Jiu Jitso e Muay Thai. Todos os professores são voluntários.

“Temos alunos de todas as idades lá, desde três aninhos até 16. Além das aulas, temos uma biblioteca que fica aberta nos dias em que a casa funciona, e nos dias de aula também tem lanche”, explica Maria Eduarda. Segundo ela, hoje o Coletivo Cuiabá tem uma equipe de 27 voluntários, que se revezam para abrir, fechar e limpar a casa nos dias de atividades.

Mudanças

Nestes dois anos de casa, Maria conta que a maior parte das crianças atendidas é as mesmas. “Muitas chegaram aqui pequenininhas e hoje já cresceram, nós acompanhamos o crescimento, falamos também com os pais, e vemos que eles ficam muito felizes nos dias que tem aula, porque eles não têm nada para fazer em casa”, conta.

 

Além disso, os pequenos que realmente se interessaram pelas artes marciais ganharam bolsas de estudo na escola ‘Atletas do Rei’. “Conseguimos essa parceria e eles conseguiram participar do Campeonato Estadual de Jiu Jitsu. Ganharam duas medalhas de ouro, uma de prata e uma de bronze”.  Foi depois do campeonato – e das medalhas – que Davi Moura ficou sabendo sobre o projeto, e visitou a casa. “Foi muito legal, porque as crianças ficaram empolgadas com a visita dele”.  Para além das aulas regulares, o coletivo continua realizando ações pontuais, principalmente para arrecadar fundos para reformar a casa. As crianças também passeiam, principalmente quando eles recebem alguma ajuda, como quando foram para o Centro Integrado de Operações Aéreas (CIOPAer) ver os aviões, levados pela Rádio Capital FM e quando foram assistir aos atletas do Cuiabá Sport Club na Arena Pantanal.  “Nós cobramos uma taxa mensal dos voluntários, dos que quiserem participar, de dez reais. Além disso temos alguns parceiros, como a MT Par, mas sempre aceitamos doações”.  Segundo Maria, a vontade é investir na biblioteca e em novos espaços. “Nós ganhamos dois computadores, mas não estão em uso porque não tem onde colocar”, lamenta. “E a nossa biblioteca, as crianças tem que pegar o livro e ler em outro lugar, porque é muito pequena e não tem ar condicionado”.  Quem quiser ajudar o Coletivo Cuiabá, pode entrar em contato por meio da FAN PAGE ou INSTAGRAM. Maria pede que quem deseja ser voluntário entre em contato para, antes, fazer uma visita ao local.